Nacional

Rio de Janeiro lança plataforma para controle de acidentes de trânsito

Publicado

em


A pesquisa e o acompanhamento dos delitos que ocorrem nas ruas e estradas do estado do Rio de Janeiro ganharam reforço. Dentro da Semana Nacional do Trânsito 2021, o Instituto de Segurança Pública (ISP) lançou hoje (20) a plataforma ISPTrânsito, que permite o monitoramento dos dados sobre acidentes no trânsito no estado do Rio. De acordo com o instituto, o trabalho será facilitado porque a plataforma ficará hospedada no próprio site. Por meio de gráficos, mapas e tabelas dinâmicas será possível realizar a consulta de cidades e ruas com maior número de acidentes.

Pandemia

O instituto informou que a pandemia da covid-19 alterou completamente a curva de registros de delitos de trânsito. Por isso, os primeiros dados disponibilizados pela plataforma comparam os anos de 2019 e 2020 e também contrapõem os períodos de março de 2019 a fevereiro de 2020 e de março de 2020, quando começou o isolamento social, em fevereiro de 2021.

Análises com base na aplicação da ISPTrânsito indicaram, que com exceção dos homicídios culposos, a menor circulação de pessoas nas ruas provocou recuo expressivo nos principais delitos no período de pandemia. Conforme o ISP, o estado do Rio apresentou queda de 35,50% nos acidentes de trânsito de março de 2020 a fevereiro de 2021, em relação ao período anterior, saindo de 24.819 registros para 16.008.

Já o delito de lesão corporal culposa caiu 38,69%, passando de 26.423 para 16.201 casos. Na condução de veículo por pessoa embriagada ou sob efeito de drogas se notou redução de mais de 27,21%, chegando na pandemia a 1.110 registros. No entanto, mesmo com a diminuição expressiva dos registros de acidentes, o número de homicídios culposos se manteve praticamente estável, apresentando queda de 2,15%, saindo de 1.953 para 1.911.

Vítimas

Os dados mostram ainda que os homens foram vítimas de quase 75% dos acidentes e de 82% dos homicídios culposos ocorridos no trânsito no período, que começou em março de 2020, relativo à pandemia. Mais de 48% das vítimas fatais e metade dos acidentados no estado foi com pessoas na faixa de idades entre 30 e 59 anos.

Locais

A capital e os municípios de Niterói e São Gonçalo, na região metropolitana; e , Nova Iguaçu e Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, ocupam as primeiras cinco posições no ranking das cidades que registraram mais acidentes de trânsito no período da pandemia. No interior do estado, em primeiro lugar ficou o município de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, seguido por Araruama, na Região dos Lagos; Petrópolis, Teresópolis, na região Serrana; e Volta Redonda, no sul fluminense.

No município do Rio, as vias onde houve mais acidentes foram a Avenida Brasil, que liga a zona oeste ao centro da cidade; a Avenida das Américas, no Recreio e Barra da Tijuca, na zona oeste; e a Avenida Dom Hélder Câmara, na zona norte. Nos casos dos homicídios culposos, o destaque ficou com a Avenida Brasil, seguida da Avenida Cesário de Melo, que passa pelos bairros de Santa Cruz, Paciência, Cosmos, Inhoaíba, Campo Grande e Senador Vasconcelos, na zona oeste; e a Avenida Santa Cruz, também na zona oeste.

Para a diretora-presidente do Instituto de Segurança Pública, Marcela Ortiz, o site do instituto costuma ser usado como fonte de pesquisa de muitos profissionais, estudantes e governos, e isso poderá ser ampliado com a plataforma.

“Ao criar esse painel específico para trânsito, a nossa ideia foi facilitar a consulta aos principais delitos que acontecem nas ruas do estado e dar mais transparência a esses dados. Da mesma forma, queremos que a população tenha a dimensão do problema e entenda a necessidade de tornarmos o trânsito um local mais seguro para todos”, disse.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Geral

Comentários do Facebook
Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Caminhoneiro Zé Trovão se apresenta à PF, após dois meses foragido

Publicados

em


O caminhoneiro Marcos Antonio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, se apresentou hoje (26) à tarde na Delegacia da Polícia Federal, em Joinville, Santa Catarina, cidade onde mora, após permanecer quase dois meses foragido. A informação foi confirmada pela Polícia Federal, em Brasília.
 
“A Polícia Federal cumpriu nesta terça-feira (26), em Joinville/SC, mandado de prisão preventiva expedido pelo Supremo Tribunal Federal nos autos do Inquérito 4879, que investiga atos antidemocráticos”, disse a corporação, em nota.
 
O mandado de prisão foi expedido em 1º de setembro deste ano, pelo ministro do STF Alexandre de Moraes. Segundo a PF, o líder caminhoneiro se apresentou no início da tarde na Delegacia de Polícia Federal em Joinville e permanecerá à disposição da Justiça.
 
Zé Trovão foi levado para o presídio estadual da cidade de Joinville.
 
Antes de ser decretada a ordem de prisão, Zé Trovão fugiu para o México e tinha sido localizado pela Polícia Federal escondido naquele país.
 

Pedido de prisão

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a prisão do caminhoneiro no inquérito que investiga ameaças à democracia e incitação à violência em atos que estavam sendo organizados para o feriado de 7 de Setembro.

Segundo o ministro, as investigações feitas pela PF mostram a “presença de fortes indícios e significativas provas apontando a existência de uma verdadeira organização criminosa, de forte atuação digital e com núcleos de produção, publicação, financiamento e político absolutamente semelhante àqueles identificados com a nítida finalidade de atentar contra a democracia e o Estado de Direito”.

O caso começou a ser apurado em abril do ano passado após manifestantes levantarem faixas pedindo a intervenção militar, o fechamento do STF e do Congresso durante atos realizados em Brasília e outras cidades do país.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Geral

Comentários do Facebook
Continue lendo

GOIÁS

MINAS GERAIS

DISTRITO FEDERAL

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA