Cidades

Prefeitura de Goiânia acolhe pessoas em situação de rua, e providencia abrigo no Parque Mutirama, na noite desta terça-feira (17/05)

Publicado

em

Prefeito de Goiânia, Rogério Cruz determinou ação emergencial, na noite desta terça-feira (17/05), para acolhimento de pessoas em situação de rua, em razão do clima frio na capital. Equipes da Prefeitura de Goiânia vão até os desabrigados e os encaminham ao Parque, onde foi montada estrutura para recebê-los.

“O Parque Mutirama tem capacidade para atender a um grande número de pessoas. Vans percorrem o Centro da cidade e oferecem e anunciam a abertura desse abrigo provisório. Tudo o que pudermos fazer para ajudar esses goianienses, faremos”, diz o prefeito Rogério Cruz.

Foram mobilizadas para a ação equipes das Secretarias Municipais de Desenvolvimento Humano e Social, de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas, e de Relações Institucionais, além da Agência Municipal de Turismo e Lazer. A Guarda Civil Metropolitana também compõe a força-tarefa, e está responsável pela segurança.

Para a operação, a Prefeitura oferece transporte, cobertores e agasalhos, e, ainda, refeições aos que forem atendidos no local. “Essa ação foi uma determinação do prefeito Rogério Cruz, que, sensível às questões sociais que dizem respeito à nossa cidade, determinou o nosso empenho para acudir às pessoas em situação de rua em Goiânia”, afirma Valdery Júnior, presidente da Agetul.

Titular da Secretaria de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas, Cida Garcêz também mobilizou a equipe da pasta, que se juntou às das demais secretarias envolvidas na operação emergencial. Segundo ela, outros espaços serão reservados a partir desta quarta-feira (18/05), conforme a demanda por abrigo.

Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) – Prefeitura de Goiânia

Comentários do Facebook

Cidades

TCE aprova gestão patrimonial do Governo de Goiás sem recomendações

Publicados

em

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) emitiu, na última terça-feira (28/6), parecer prévio pela aprovação do Balanço Geral do Estado de Goiás referente ao ano de 2021. As ações desenvolvidas pela área responsável pelo patrimônio estadual, unidade vinculada à Secretaria da Administração (Sead), contribuíram para a decisão do órgão fiscalizador. Pela primeira vez em 21 anos, a Corte não apresentou determinação ou recomendação relacionada à gestão patrimonial dos bens públicos.

O resultado evidencia a boa atuação da Superintendência Central de Patrimônio na gestão responsável do patrimônio público. No parecer, o Tribunal reconheceu “o posicionamento da unidade especializada, considerando ter sido verificado o comprometimento dos responsáveis envolvidos”. A Corte ressaltou ainda que “vem acompanhando a evolução das medidas inerentes à necessária conciliação entre os inventários realizados e a realizar, com os respectivos registros contábeis patrimoniais do Estado. Em 2021, foi possível constatar o aprimoramento da gestão patrimonial do Estado na direção estabelecida pelos institutos legais e normativos pertinentes”.

O Programa Inventário envolve a contagem de todos os bens móveis e imóveis do Estado. Na primeira edição do programa, a atual gestão identificou o descaso com o qual o setor era tratado. À época, mais de 25% dos bens móveis do inventário de 2019 não foram encontrados. A realidade hoje é outra. A equipe da Sead atuou para sanar as irregularidades, corrigindo e atualizando essa documentação, hoje com 1.610.894 bens móveis e 4.654 bens imóveis.

Titular da Sead, Bruno D’Abadia avaliou que o parecer do TCE reflete uma mudança de cultura na gestão, que vai muito além do cumprimento formal de uma obrigação. “Nós conseguimos garantir aquilo que é princípio norteador de uma boa administração: o respeito à coisa pública, o zelo com o patrimônio de todos os goianos”, pontuou.

Fonte: Governo GO

Comentários do Facebook
Continue lendo

GOIÁS

MINAS GERAIS

DISTRITO FEDERAL

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA