Geral

Mais um reforço no atendimento de saúde da população do Sol Nascente

Publicado

em


“Temos um foco muito forte na Atenção Primária, ela é a porta de entrada da saúde, diminuindo o fluxo de pessoas nas UPAs e hospitais”Governador Ibaneis Rocha

Ceilândia e Sol Nascente/Pôr do Sol acabam de ganhar uma nova Unidade Básica de Saúde (UBS), com capacidade para atender 300 pacientes por dia, em uma área que abrange 20 mil pessoas. A UBS 15 de Ceilândia (QNR 02), inaugurada nesta quinta-feira (25) pelo governador Ibaneis Rocha, é a nona entregue desde 2019.

Porta de entrada no atendimento à população, as UBSs são capazes de resolver até 80% das demandas de saúde. Dentro da unidade é feito o acompanhamento de gestantes, tratamento dentário, aplicação de vacinas, distribuição de medicamentos e o acompanhamento da saúde em todas as fases da vida de uma pessoa.

O GDF investiu mais de R$ 3 milhões para construir a unidade, equipar e ainda adquirir medicamentos | Fotos: Renato Araújo / Agência Brasília

A UBS 15 chega para complementar o atendimento no território e evitar grandes deslocamentos dos moradores para outras regiões. O governo local investiu mais de R$ 3 milhões para construir a unidade, equipar e ainda adquirir medicamentos.

“Temos um foco muito forte na Atenção Primária, ela é a porta de entrada da saúde, diminuindo o fluxo de pessoas nas UPAs e hospitais. Nosso projeto é inaugurar, até o fim do próximo ano, 21 UBSs. E temos mais uma para entregar este ano no Vale do Amanhecer, em Planaltina”, destaca o governador Ibaneis Rocha.

A nova UBS vai abrigar cinco equipes de saúde da família e duas de saúde bucal. Com o corpo de funcionários completo, o espaço dispõe de sala de atividades coletivas, sala de vacinas, central de material esterilizado, sala dos agentes comunitários de saúde, sala de coleta de exames, sala de curativos, sala de inalação coletiva, copa para funcionários e vestiário para funcionários.

O secretário de Saúde, Manoel Pafiadache, ressalta: “[A nova unidade] leva saúde em direção à população para evitar transtornos, grandes deslocamentos e evitar que as pessoas procurem um hospital de grande complexidade sem ter necessidade. Assim, vamos arrumando o fluxo de atendimento na rede pública”.

“Em qualquer lugar do Brasil uma UBS como essa é chamada de pequeno hospital, por conta de seu porte, do seu acabamento, por ser completa”Manoel Pafiadache, secretário de Saúde

A nova UBS vai abrigar cinco equipes de saúde da família e duas de saúde bucal | Foto: Renato Alves / Agência Brasília

O encarregado de obras Célio de Oliveira, de 32 anos, morador do Sol Nascente/Pôr do Sol, é um dos muitos que serão beneficiados com a obra. Ele comemora a chegada de infraestrutura à região. “É de grande importância”, afirma.

“A gente fica agradecido porque a população daqui é vulnerável. Até para nos deslocarmos para outra UBS é difícil, porque não temos condição de pagar o combustível. Essa unidade vai ajudar bastante, pois muitas pessoas também não têm condições de pagar por um atendimento de saúde”, comenta Célio.

A obra

O projeto da UBS 15 foi executado pela Novacap. A área construída é de 831,20 m², sendo que a edificação principal ocupa 770,07m² e a área de reservatórios e lixeiras, 61,13 m².

A nova unidade conta com 13 consultórios, dos quais quatro são para médicos, três para enfermeiros e quatro são consultórios de odontologia; sala de vacina, sala de procedimentos – curativo, sala de coleta de exames laboratoriais – , farmácia e sala de medicação.

“É uma reivindicação muito antiga da população. Em qualquer lugar do Brasil uma UBS como essa é chamada de pequeno hospital, por conta de seu porte, do seu acabamento, por ser completa”, avalia o secretário de Saúde.

Foram investidos cerca de R$ 3 milhões para a construção da UBS, dos quais R$ 2.290.500 são provenientes de emenda parlamentar do deputado distrital Fernando Fernandes, encaminhada diretamente para a Novacap. O restante foi custeado com recursos próprios da Secretaria de Saúde.

“É o cuidado do GDF com os mais carentes, os mais pobres e vulneráveis. Em pouco mais de um mês, é a segunda unidade de saúde inaugurada na região; a outra foi a UPA Ceilândia II”, comemora o distrital.

Fonte: Governo DF

Comentários do Facebook

Geral

Vice-governador Paco Britto é homenageado pela Assespro

Publicados

em


O vice-governador Paco Britto foi homenageado com troféu, na noite desta quarta-feira (1°), durante solenidade comemorativa aos 45 anos da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro). O evento, realizado no Centro Empresarial de Brasília, reuniu cerca de 150 convidados, entre empresários, parlamentares, secretários e dirigentes do setor de TI de todo o Brasil.

Distrito Federal é o terceiro maior mercado de TI do Brasil – são cerca de 30,3 mil vagas nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) | Foto: Jaqueline Husni/Agência Brasília

Com mais de 2,5 mil empresas associadas em todos os estados do Brasil e com regionais em 13 estados da federação, a associação é a mais antiga – foi fundada em 1976, com sede em Brasília – e tem a maior representatividade em âmbito nacional referente às empresas brasileiras do setor – principalmente, em relação às pequenas e médias empresas.

No discurso, Paco Britto comentou sobre o mercado promissor de Tecnologia da Informação (TI) no Distrito Federal. “Brasília é um celeiro de novas empresas de TI. Já é uma realidade. O governo Ibaneis Rocha e Paco Britto tem um olhar especial para a TI do Distrito Federal”, frisou, dirigindo-se ao vice-presidente de Articulação Política da Federação Assespro, Cristian Tadeu, presente à cerimônia.

Redução de alíquotas

Paco ressaltou ainda sobre a redução de alíquotas praticada nesta gestão. “Eu tive a oportunidade de anunciar a redução, no primeiro ano de governo, das alíquotas, para que pudéssemos ficar competitivos junto a outros estados”, lembrou, acrescentando que as entidades que representam essa “população de trabalhadores é uma grande máquina de arrecadação de tributos para o Governo do Distrito Federal”.

Para o presidente da Federação Assespro, Ítalo Nogueira, um dos principais desafios do setor nos próximos anos é a falta de profissionais no setor, agravada ainda mais durante o período da pandemia de covid-19.

Segundo o Sindicato das Indústrias da Informação do Distrito Federal (Sinfor/DF), o Distrito Federal é o terceiro maior mercado de TI do Brasil – são cerca de 30,3 mil vagas nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Ainda de acordo com o sindicato, durante a pandemia, foram abertas por volta de 2 mil empresas de informática e de TI. Mas apesar do crescente número de vagas disponíveis, ainda há falta de mão de obra qualificada para atender ao mercado.

Fato este que foi corroborado por Cristian durante a leitura de um manifesto, para marcar a data comemorativa da Assespro. O teor do documento foi resultado de uma reunião do Conselho de Administração, realizada na manhã desta quarta-feira (1°), em defesa de políticas públicas que evitem o apagão de mão de obra do setor. “O momento exige união para evitar o apagão tecnológico”, resumiu.

Também foi citada nos discursos, pelos dirigentes, a competitividade tecnológica do país, bem como a geração e preenchimento de empregos de qualidade. Ao longo dessas quatro décadas, a entidade vem defendendo os interesses das empresas nacionais e a indústria nacional da Tecnologia da Informação.

Integração

Representante do setor junto aos governos municipais, estaduais e federal, bem como a sociedade, e perante as instituições de ensino, a Assespro tem o objetivo de integrar a comunidade acadêmica com a empresarial e contribuir para formação de pessoal capacitado para as demandas do mercado.

A Assespro foi criada com o intuito de representar de forma distinta e empreendedora, empresas privadas nacionais produtoras e desenvolvedoras de software, produtos e serviços de tecnologia da informação, telecomunicações e internet.

Com informações da Assespro

Fonte: Governo DF

Comentários do Facebook
Continue lendo

GOIÁS

MINAS GERAIS

DISTRITO FEDERAL

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA