Geral

Aprovada nova área habitacional no Jardim Botânico

Publicado

em


O Conselho de Planejamento Territorial Urbano do Distrito Federal (Conplan) aprovou, por unanimidade de votos, em reunião virtual nesta quinta-feira (25), a criação de novos lotes localizados na Fazenda Santa Bárbara, DF-140, na Região Administrativa do Jardim Botânico. O parcelamento de solo, denominado Âncora Etapa 2, tem 5,3460 hectares divididos em dois lotes, com a estimativa de abrigar 257 habitantes em 78 unidades habitacionais.

O projeto urbano de parcelamento também apresentou as condicionantes ambientais e os pareceres favoráveis das concessionárias públicas | Reprodução: Seduh

“Mais um novo parcelamento do solo aprovado na DF-140 que já nasce com todos os estudos urbanísticos e ambientais concluídos, contribuindo para a oferta de lotes legais para fazer frente ao crescimento populacional e, indiretamente, evitar a ocupação desordenada”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira.

De acordo com o projeto apresentado ao Conplan, o uso e a ocupação do solo foram baseados na definição de uma área destinada a um condomínio urbanístico com equipamentos públicos, como espaços livres de uso público (Elups), ciclovia, áreas verdes e demais serviços, além de uma Área de Preservação Permanente (APP). O projeto urbano de parcelamento também apresentou as condicionantes ambientais e os pareceres favoráveis das concessionárias públicas.

“Mais um novo parcelamento do solo aprovado que já nasce com todos os estudos urbanísticos e ambientais concluídos, contribuindo para a oferta de lotes legais e evitando a ocupação desordenada”Mateus Oliveira, secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação

“O desenvolvimento de novos parcelamentos é algo muito positivo. E, neste caso, vem preenchendo os requisitos necessários para aprovação”, ressaltou a conselheira e relatora do projeto, Junia Bittencourt, presidente da União dos Condomínios Horizontais e Associações de Moradores do Distrito Federal (Unica-DF).

Regularização

O Conplan também aprovou, por unanimidade de votos, os projetos urbanísticos para regularização de quatro áreas no Setor Habitacional Contagem, em Sobradinho II. Os condomínios são chamados de Paraíso, Vivendas Paraíso, Sobradinho III e Fraternidade – Etapa II. Juntos, os locais possuem o total de 207 lotes e 569 habitantes.

O Sobradinho III tem 96 lotes, em uma área de 3,6197 hectares, onde vive uma população estimada de 287 habitantes. O Vivendas Paraíso possui 73 lotes residenciais, espalhados por uma área de 7,6844 hectares, com 238 pessoas.

Já o condomínio Paraíso é formado por 20 lotes em 1,6640 hectares, com 53 habitantes. Por fim, o Fraternidade – Etapa II possui 19 lotes, com uma população estimada em 251 habitantes, que vivem em uma área de 0,5697 hectare.

Para Mateus Oliveira, o processo de avançar na regularização fundiária dos condomínios tem sido producente no Distrito Federal. “Não só pela escritura que os moradores vão receber, mas todo o melhoramento de infraestrutura e toda a parte de compensações ambientais diretamente ligadas a essas regularizações”, ressaltou o secretário.

A Urbanizadora Paranoazinho (UP) é a responsável pelos quatro locais, que estão em Áreas de Regularização de Interesse Específico (Arines), de acordo com o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) de 2009. Todos estão sendo regularizados em conformidade com as diretrizes urbanísticas da legislação federal e local.

Desdobro

O colegiado aprovou ainda o projeto de desdobro (divisão) do Lote 4 do Setor de Postos e Motéis Sul, na Candangolândia, para a regularização fundiária e urbanística da área.

*Com informações da Seduh

Fonte: Governo DF

Comentários do Facebook

Geral

Vice-governador Paco Britto é homenageado pela Assespro

Publicados

em


O vice-governador Paco Britto foi homenageado com troféu, na noite desta quarta-feira (1°), durante solenidade comemorativa aos 45 anos da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro). O evento, realizado no Centro Empresarial de Brasília, reuniu cerca de 150 convidados, entre empresários, parlamentares, secretários e dirigentes do setor de TI de todo o Brasil.

Distrito Federal é o terceiro maior mercado de TI do Brasil – são cerca de 30,3 mil vagas nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) | Foto: Jaqueline Husni/Agência Brasília

Com mais de 2,5 mil empresas associadas em todos os estados do Brasil e com regionais em 13 estados da federação, a associação é a mais antiga – foi fundada em 1976, com sede em Brasília – e tem a maior representatividade em âmbito nacional referente às empresas brasileiras do setor – principalmente, em relação às pequenas e médias empresas.

No discurso, Paco Britto comentou sobre o mercado promissor de Tecnologia da Informação (TI) no Distrito Federal. “Brasília é um celeiro de novas empresas de TI. Já é uma realidade. O governo Ibaneis Rocha e Paco Britto tem um olhar especial para a TI do Distrito Federal”, frisou, dirigindo-se ao vice-presidente de Articulação Política da Federação Assespro, Cristian Tadeu, presente à cerimônia.

Redução de alíquotas

Paco ressaltou ainda sobre a redução de alíquotas praticada nesta gestão. “Eu tive a oportunidade de anunciar a redução, no primeiro ano de governo, das alíquotas, para que pudéssemos ficar competitivos junto a outros estados”, lembrou, acrescentando que as entidades que representam essa “população de trabalhadores é uma grande máquina de arrecadação de tributos para o Governo do Distrito Federal”.

Para o presidente da Federação Assespro, Ítalo Nogueira, um dos principais desafios do setor nos próximos anos é a falta de profissionais no setor, agravada ainda mais durante o período da pandemia de covid-19.

Segundo o Sindicato das Indústrias da Informação do Distrito Federal (Sinfor/DF), o Distrito Federal é o terceiro maior mercado de TI do Brasil – são cerca de 30,3 mil vagas nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Ainda de acordo com o sindicato, durante a pandemia, foram abertas por volta de 2 mil empresas de informática e de TI. Mas apesar do crescente número de vagas disponíveis, ainda há falta de mão de obra qualificada para atender ao mercado.

Fato este que foi corroborado por Cristian durante a leitura de um manifesto, para marcar a data comemorativa da Assespro. O teor do documento foi resultado de uma reunião do Conselho de Administração, realizada na manhã desta quarta-feira (1°), em defesa de políticas públicas que evitem o apagão de mão de obra do setor. “O momento exige união para evitar o apagão tecnológico”, resumiu.

Também foi citada nos discursos, pelos dirigentes, a competitividade tecnológica do país, bem como a geração e preenchimento de empregos de qualidade. Ao longo dessas quatro décadas, a entidade vem defendendo os interesses das empresas nacionais e a indústria nacional da Tecnologia da Informação.

Integração

Representante do setor junto aos governos municipais, estaduais e federal, bem como a sociedade, e perante as instituições de ensino, a Assespro tem o objetivo de integrar a comunidade acadêmica com a empresarial e contribuir para formação de pessoal capacitado para as demandas do mercado.

A Assespro foi criada com o intuito de representar de forma distinta e empreendedora, empresas privadas nacionais produtoras e desenvolvedoras de software, produtos e serviços de tecnologia da informação, telecomunicações e internet.

Com informações da Assespro

Fonte: Governo DF

Comentários do Facebook
Continue lendo

GOIÁS

MINAS GERAIS

DISTRITO FEDERAL

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA