Nacional

Ronnie Von é o entrevistado do Sem Censura desta segunda

Publicado

em

A jornalista Marina Machado recebe o apresentador e cantor Ronnie Von no Sem Censura desta segunda-feira (27), na TV Brasil. O início da carreira musical no Rio de Janeiro, a experiência como ator e a estreia como apresentador nos anos 60 são alguns dos assuntos da conversa.  A trajetória profissional, vida pessoal e o casamento com Maria Cristina Rangel, a Kika Von, também são temas do bate-papo.

Ronaldo Nogueira, mais conhecido como Ronnie Von, nasceu em 1944 em Niterói, no Rio de Janeiro. Entrou para a Escola Preparatória de Cadetes do Ar, da Força Aérea Brasileira, aos 15 anos. Biólogo de formação, iniciou a carreira musical quase por acaso cantando com o grupo Brazilian Bitles, no Beco das Garrafas, no Rio. Em 1965, estreou na TV no programa Brazilian Bitles Club, na antiga TV Excelsior, no Rio. Em São Paulo, participou do programa Corte Rayol Show, da TV Record e se tornou grande sucesso.

Convidado por João Araújo, em 1966 gravou um disco com a música Meu Bem, versão própria, em português, da música Girl, de John Lennon e Paul McCartney. No mesmo ano, ganhou seu próprio programa, o Pequeno Mundo de Ronnie Von, no qual se apresentaram grandes nomes da música nacional. No ano seguinte, gravou o seu maior sucesso, a música A Praça, de Carlos Imperial. No fim da década de 60 e começo dos anos 70, lançou discos de rock psicodélico como A Máquina Voadora.

Participou das novelas A Menina do Veleiro AzulCinderela 77O Amor é Nosso e A Gata Comeu, e esteve em filmes como Janaína – A Virgem ProibidaLos Taxistas del Humor e A Filha dos Trapalhões. Em 1992, publicou o livro Mãe de Gravata e, em 1999, estreou na CNT/Gazeta um programa de mesmo nome. Em 2004, também na TV Gazeta, comandou o programa Todo Seu, no qual trabalhou por 15 anos. Atualmente, Ronnie Von está no ar com o programa Além do Vinho, no Canal Sabor e Arte do Grupo Bandeirantes.

Contribuem como debatedores convidados desta edição, Flávio Ricco, Jornalista do R7 e especialista em televisão, e Thiago Rocha, jornalista da Rede TV.

O programa Sem Censura vai ao ar às segundas-feiras, às 21h, logo após a novela A Escrava Isaura, com transmissão para todo o país em TV aberta por intermédio das emissoras afiliadas à Rede Nacional de Comunicação PúblicaTV, gerida pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e por outras plataformas, como Facebook, Twitter e Youtube, por onde o público pode participar usando a hashtag #SemCensura.

Ao vivo e on demand

Acompanhe a programação da TV Brasil pelo canal aberto, TV por assinatura e parabólica.
Sintonize: tvbrasil.ebc.com.br/comosintonizar

Seus programas favoritos estão no TV Brasil Play, pelo site play.ebc.com.br ou por aplicativo no smartphone. O app pode ser baixado gratuitamente e está disponível para Android e iOS. Assista também pela WebTV: tvbrasil.ebc.com.br/webtv

Sem Censura – Ronnie Von
Segunda-feira (27), às 21h, na TV Brasil

Facebook
Twitter 
Instagram
YouTube 
TikTok 

Fonte: EBC Geral

Comentários do Facebook
Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nacional

Contratações de consignado no Auxílio Brasil devem começar em setembro

Publicados

em

O ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, disse hoje (17) que as contratações de crédito consignado por beneficiários do Auxílio Brasil devem começar até o início de setembro. Após a edição do decreto que regulamentou a concessão desse empréstimo, o Ministério da Cidadania trabalha em normas complementares para o início das operações.

“Já temos quase 17 instituições financeiras homologadas pelo Ministério da Cidadania aptas à concessão do empréstimo consignado. É um número que mostra o interesse do mercado em estar disponibilizando o crédito para essa população”, disse, durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto.

O crédito consignado é aquele concedido pelas instituições financeiras com desconto automático das parcelas em folha de pagamento do salário ou benefício. Os beneficiários do Auxílio Brasil poderão fazer empréstimos de até 40% do valor do benefício e autorizar a União a descontar o valor da parcela dos repasses mensais.

O programa social tem valor mínimo de R$ 400, mas de agosto a dezembro deste ano o benefício será de R$ 600.

Extrema pobreza

O ministro Ronaldo Bento estava acompanhando do presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Erik Figueiredo, que apresentou um estudo que avalia os efeitos do Programa Auxílio Brasil sobre a extrema pobreza, o mercado de trabalho e a insegurança alimentar. A nota Expansão do Programa Auxílio Brasil: Uma Reflexão Preliminar, assinada por Figueiredo, foi divulgada na semana passada.

De acordo com o Ipea, a previsão da Organização das Nações Unidas (ONU) era que a taxa de extrema pobreza brasileira saltaria de 5,1% em 2019 para 8,8% em 2022, mas segundo Figueiredo, a tendência é contrária, com a projeção de uma redução da taxa de extrema pobreza para 4,1% em 2022. Em 2021, 6% dos brasileiros estavam na condição de extrema pobreza.

Para chegar a essa previsão, Figueiredo explicou que o Ipea considerou a adição de 5,7 milhões de famílias no Auxílio Brasil em 2021 e 2022. “Evidente que isso vai ter um impacto na extrema pobreza. Consideramos esse incremento com base em dados mais concretos”, disse.

O estudo diz ainda que o crescimento da prevalência de desnutrição e insegurança alimentar no Brasil não tem impactado os indicadores de saúde ligados à prevalência da fome. “Entre 2018 e 2021, o número de internações relacionadas à desnutrição protéico-calórica de graus moderado e leve, à desnutrição protéico-calórica grave, ao atraso do desenvolvimento devido à desnutrição protéico-calórica, à kwashiorkor [deficiência de proteínas] e ao marasmo nutricional apresentou queda”, informou o Ipea.

De acordo com o instituto, o aumento do repasse do programa representou, entre janeiro e agosto, aproximadamente 2,5 vezes a perda de renda do trabalho das famílias pobres em decorrência da pandemia da covid-19. Além disso, segundo Figueiredo, o crescimento do programa social impulsionou as economias locais.

“Em todas as regiões do país, houve uma relação diretamente proporcional na quantidade de empregos formais gerados e famílias acrescidas ao Auxílio Brasil. Em média, para cada mil famílias incluídas no Auxílio Brasil, há a geração de 365 empregos formais”, disse.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Geral

Comentários do Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA