Geral

Planaltina recebe a segunda edição da Mostra de Artesanato

Publicado

em


O Museu Histórico e Artístico de Planaltina mantém aberta, até 2 de outubro, a segunda edição da mostra Artesanato em Casa, promovida pela Secretaria de Turismo (Setur). A exposição conta com peças dos 33 artesãos que participaram da versão on-line da Feira Cultural do Artesão. “A cultura é um processo, e o trabalho é cotidiano”, resumiu o presidente do Instituto Latinoamerica, Atanagildo Brandolt, na abertura da exposição, no sábado (18).

Peças são produzidas com material do cerrado, valorizando a região | Fotos: Dimitrio Gonçalves/Setur

O projeto, que já possibilitou a qualificação profissional por meio de aulas gravadas – disponíveis no YouTube do Instituto Latinoamerica – é executado pela Setur, com apoio do deputado Rafael Prudente, presidente da Câmara Legislativa do DF.

11 mil Número de artesãos cadastrados na Setur

Os artesãos que atuam nesse programa foram selecionados a partir do critério de apresentar produtos e materiais com características culturais da região. São oito técnicas diferentes, trabalhadas com matérias-primas tradicionais, como flores do cerrado e fibras vegetais.

Genolino Malta, de 69 anos, comemora a oportunidade de integrar a iniciativa: “Sou artesão há 20 anos e fiquei muito feliz em poder dividir o meu conhecimento, mostrar que é possível trabalhar de forma sustentável, respeitando a natureza e toda a matéria-prima e de poder expor o meu trabalho aqui no museu”.

Segmento valorizado

A secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, reforça a importância do artesanato para o turismo regional e para o desenvolvimento econômico. “Temos, aproximadamente, 11 mil artesãos cadastrados na Setur”, enumera. “Esse é um segmento turístico que vem recebendo valorização e promoção por meio de ações diretas do governo Ibaneis Rocha”.

Grupo de artistas com trabalhos expostos no museu: artesanato é atividade incentivada pelo GDF

Com a Lei nº 6.924, publicada em 29 de julho, ficaram instituídas as diretrizes para a política distrital de fomento ao artesanato, que passou a ter um programa local específico para desenvolver, qualificar e promover a atividade como instrumento de trabalho e empreendedorismo.

O administrador da cidade, Célio Rodrigues, destacou a importância da parceria com a secretaria de Turismo para fomentar as atividades turísticas e reforçar o artesanato da cidade. ”Precisamos trabalhar juntos procurando soluções práticas para nossa cidade, e tenho certeza que ações como essas farão toda a diferença”, destaca o administrador de Planaltina, Célio Rodrigues, que cita a Setur como grande parceira.

Artesanato em família

A tradição do artesanato costuma passada de geração a geração. Esse é o caso de Joana Bezerra, 90 anos, uma das sete mestras-artesãs do Distrito Federal. “Criei minha família com o artesanato e agradeço muito a Deus”, conta a artista, que desde a infância trabalha com palha e passou seus conhecimentos para toda a família. Na mostra de Planaltina, há trabalhos dos filhos, Zildete Bezerra, Antônio de Lisboa e Iracema Ito, do neto Jackson dos Santos e do genro Luciano Shadao.

Também foi em família que se desenvolveu a vivência artística de Lira Antônia, atual presidente da Associação de Artesão de Planaltina. Ela aprendeu as técnicas do artesanato com sua mãe, a mestre-artesã Maria Apolinária, 88 anos. As duas fazem parte da estruturação do artesanato da região e estão sempre passando seus conhecimentos para as pessoas.

Lira valoriza o apoio da Setur aos projetos que estão sendo desenvolvidos para a melhoria do segmento. “O artesanato estava abandonado”, conta. “É uma alegria poder ver esse museu cheio de peças e de artesãos mostrando seus conhecimentos. Eu agradeço muito o governo”.

*Com informações da Secretaria de Turismo

Fonte: Governo DF

Comentários do Facebook
Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Novembro vem aí e traz mais empregos

Publicados

em


Entre os segmentos em destaque, o do comércio teve crescimento de 7,6%, contribuindo para o aumento da população economicamente ativa em setembro de 2021 | Foto: Arquivo Agência Brasília

O ingresso de 10 mil novos trabalhadores no serviço público foi um dos fatores que puxaram a economia local no último ano. Os setores de serviços, comércio e construção civil também contribuíram para que, mais uma vez, o Distrito Federal registrasse queda no número de desempregados.

A constatação é da última Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), apresentada pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), na manhã desta terça-feira (26), durante live nas redes sociais.

“Tivemos uma queda de quatro pontos percentuais na taxa de desemprego desde o auge da pandemia, um dado muito positivo. Além do mais, com a ampliação da vacinação, a tendência é de que a taxa de desemprego continue diminuindo”Jean Lima, presidente da Codeplan

O estudo mostra que, entre setembro de 2020 e o mesmo mês de 2021, os índices de desemprego passaram de 18,4% para 17,7%. Além do segmento da administração pública, que cresceu 5,8%, o da construção civil registrou aumento de 10,8% no número de contratações e do comércio e do setor reparação, de 7,6%.

A PED mostrou ainda que o número de assalariados, que foi de 1,2 milhão, em 12 meses pulou para 1,3 milhão. Já a população economicamente ativa passou de 1,5 milhão, em setembro de 2020, para 1,6 milhão em 2021.

A perspectiva é que o cenário melhore ainda mais nos próximos meses. “Tivemos uma queda de quatro pontos percentuais na taxa de desemprego desde o auge da pandemia, um dado muito positivo. Além do mais, com a ampliação da vacinação, a tendência é de que a taxa de desemprego continue diminuindo”, explicou o presidente da Codeplan, Jean Lima.

“Essa tendência de crescimento da ocupação no DF deve se manter nos próximos meses, período de sazonalidade positiva do mercado de trabalho tanto em outubro, por conta do Dia da Criança, quanto em dezembro, pelas festas de fim de ano”Jusçânio Umbelino de Souza, gerente de Pesquisas Socioeconômicas da Codeplan

A PED aponta para um movimento de recuperação mais significativo do mercado de trabalho local, com redução da taxa de desemprego total, resultante do expressivo aumento do nível ocupacional em praticamente todos os setores da economia do DF.

“Essa tendência de crescimento da ocupação no DF deve se manter nos próximos meses, período de sazonalidade positiva do mercado de trabalho tanto em outubro, por conta do Dia da Criança, quanto em dezembro, pelas festas de fim de ano”, esclareceu Jusçânio Umbelino de Souza, gerente de Pesquisas Socioeconômicas da Codeplan.

Para o secretário de Trabalho, Thales Mendes, a redução do desemprego ainda é pequena, mas faz parte do processo de reaquecimento da economia e mostra tendência de melhoria. “Com a proximidade do final do ano, as empresas se preparam para mais contratações que, mesmo que sejam temporárias, proporcionam aquecimento na economia no segundo semestre. Como consequência, há uma redução ainda maior da taxa de desemprego”, aposta.

14 mil novos empregos

O estudo da Codeplan – realizado em parceria com o Dieese – mostra ainda que a inserção no mercado de trabalho também teve destaque entre profissionais sem carteira assinada no setor privado (6,5% ou 6 mil pessoas) e empregados domésticos (3,4% ou 3 mil novos contratos). No período de 12 meses, o quantitativo de desempregados diminuiu, devido ao acréscimo de 14 mil postos de ocupação, que superaram a entrada de 7 mil pessoas no mercado de trabalho.

*Com informações da Codeplan-DF

Fonte: Governo DF

Comentários do Facebook
Continue lendo

GOIÁS

MINAS GERAIS

DISTRITO FEDERAL

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA