Nacional

Operação da PF desarticula esquema internacional de tráfico de drogas

Publicado

em


A Polícia Federal deflagrou hoje (25) uma operação para aprofundar a apuração de crimes de lavagem de dinheiro praticados por envolvidos em um esquema de tráfico internacional de drogas a partir do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, interior de São Paulo.

A Operação Lavaggio II é um desdobramento da Operação Overload e visa também identificar bens adquiridos com recursos obtidos por meio das atividades criminosas e os envolvidos que tenham autorizado o uso de seus nomes para a compra dos bens.

Segundo a PF, esta fase das investigações está focada em um dos investigados e seus familiares residentes no Mato Grosso. “Esse envolvido utilizava a logística do Aeroporto Internacional de Viracopos para enviar remessas de grande quantidade de drogas para a Europa, já tendo identificado movimentações financeiras incompatíveis com a renda declarada, além da aquisição de joias, relógios e veículos de luxo, além de apartamentos, empreendimentos imobiliários em São Paulo e uma fazenda em Mato Grosso”, diz a PF.

Nesta segunda-feira, policiais federais cumpriram sete mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal em Campinas, sendo cinco em Mato Grosso e dois em São Paulo.

Fases e desdobramentos

A primeira fase das investigações foi a Operação Overload, quando foi constatada existência de uma organização criminosa voltada ao tráfico internacional de drogas operando a partir de Viracopos, envolvendo empregados de empresas terceirizadas, de companhia aérea, integrantes das Forças de Segurança Pública e estrangeiros em solo europeu. Foram presas 32 pessoas e apreendidos veículos e dinheiro no valor aproximado de R$ 3 milhões.

A Operação AKE, o primeiro desdobramento da Overload, cumpriu sete mandados de prisão preventiva expedidos contra os investigados que compunham parte da organização criminosa, estando estes presos até a presente data.

Na Operação Lavaggio I, a PF identificou 20 atos de lavagem de dinheiro relacionadas a um dos principais investigados. Nesta fase foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão e sete ordens judiciais de bloqueio de imóveis, com valores acima de R$ 3 milhões.

A quarta fase foi a Operação Airline, quando a PF cumprir 18 mandados de prisão preventiva dos envolvidos e dois mandados de busca e apreensão.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Geral

Comentários do Facebook
Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Grupo com atuação no tráfico internacional de cocaína é alvo da PF

Publicados

em


A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (2) a Operação Manifest, para combater uma organização criminosa com atuação no tráfico internacional de cocaína através da rota Bolívia-Paraguai-Brasil, com uso de aviões.

Segundo a PF, a organização é formada por empresários do setor de aviação agrícola, advogados, pilotos e indivíduos ligados a uma facção criminosa de atuação nacional.

“As investigações iniciaram em dezembro de 2020 a partir de um acidente aéreo ocorrido no município gaúcho de Muitos Capões. Na oportunidade, o avião utilizado para transportar a droga sofreu avarias no momento do pouso e permaneceu escondido, em meio à plantação, por cerca de uma semana”, diz a PF.

Cerca de 150 policiais federais cumprem, desde o início da manhã de hoje, 15 mandados de prisão preventiva e 30 de busca e apreensão. Também estão sendo executadas ordens judiciais para bloqueio de imóveis e contas bancárias, sequestro e apreensão de dez aeronaves e outros veículos, além de bens que estiverem em poder do grupo.

As ações ocorrer nos estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, do Paraná, de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Roraima e no Distrito Federal.

Edição: Aécio Amado

Fonte: EBC Geral

Comentários do Facebook
Continue lendo

GOIÁS

MINAS GERAIS

DISTRITO FEDERAL

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA