Nacional

MG: bombeiros atendem 642 chamadas de incêndios florestais em 48 horas

Publicado

em


O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais atendeu 642 chamadas relacionadas a incêndios florestais ocorridos entre entre o início da madrugada de sábado (18) e a de hoje (20), em todo estado.

Segundo a corporação, no meio da tarde de hoje, já não havia nenhuma ocorrência “de vulto”, ou seja, de destaque, mas o calor e a baixa umidade causados por uma massa de ar seco estacionada sobre a região central do país exigem cuidados redobrados.

Nesta madrugada, um incêndio atingiu a Estação Ecológica do Cercadinho, em Belo Horizonte. O fogo começou à margem da rodovia MGC-356, de onde as chamas se espalharam rapidamente, atingindo a uma área de difícil acesso da unidade de conservação, que abriga nascentes e é estratégica para o abastecimento de água da capital.

As causas e a extensão do estrago ainda estão sendo avaliadas, mas o Corpo de Bombeiros estima que cerca de 5 mil metros quadrados de vegetação foram destruídos (cada hectare corresponde, aproximadamente, às medidas de um campo de futebol oficial).

Em Sabará, na região metropolitana da capital mineira, bombeiros e brigadistas passaram dias tentando controlar as chamas que consumiram parte da vegetação de encostas no bairro Borba Gato. Os primeiros focos foram identificados na quarta-feira (15). Controlado na noite da quinta-feira (16), o incêndio recomeçou na tarde de sábado.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, outras ocorrências de “natureza diversa”, como incêndios residenciais, mobilizaram efetivos em todo o estado, incluindo a ameaça a vários imóveis do bairro de Pirapitinga, em Ituiutaba, a cerca de 240 quilômetros de Uberaba.

Testemunhas disseram que o fogo foi causado por ação humana e se propagou rapidamente pela vegetação seca, liberando grande quantidade de fumaça.

Desde o último dia 13, diversos órgãos públicos estaduais participam de uma força-tarefa para tentar coibir incêndios criminosos, principalmente em unidades de conservação mineiras. A iniciativa envolve policiais militares e civis, bombeiros e servidores da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e do Instituto Estadual de Florestas.

Ao anunciar a ação, a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do estado, Marília Melo, disse que, assim como em outras regiões do país, Minas Gerais enfrenta um período crítico de estiagem, o que potencializa os riscos de incêndios florestais. “Nas condições climáticas atuais, qualquer incêndio se torna um grande incêndio. O anúncio de uma fiscalização ostensiva vem, neste momento, buscar a redução da ocorrência de incêndios florestais e o consequente impacto ambiental que provocam, seja na qualidade do ar, no solo, seja na perda de biodiversidade”, destacou Marília.

Faltando dois dias para o fim do inverno e o início da primavera, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê a ocorrência de chuvas esparsas a partir do fim da semana, o que, de imediato, deve começar a melhorar ao menos a umidade relativa do ar

*Com informações da Radioagência Nacional e da Rádio Inconfidência, de Belo Horizonte

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Geral

Comentários do Facebook

Nacional

Caminhoneiro Zé Trovão se apresenta à PF, após dois meses foragido

Publicados

em


O caminhoneiro Marcos Antonio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, se apresentou hoje (26) à tarde na Delegacia da Polícia Federal, em Joinville, Santa Catarina, cidade onde mora, após permanecer quase dois meses foragido. A informação foi confirmada pela Polícia Federal, em Brasília.
 
“A Polícia Federal cumpriu nesta terça-feira (26), em Joinville/SC, mandado de prisão preventiva expedido pelo Supremo Tribunal Federal nos autos do Inquérito 4879, que investiga atos antidemocráticos”, disse a corporação, em nota.
 
O mandado de prisão foi expedido em 1º de setembro deste ano, pelo ministro do STF Alexandre de Moraes. Segundo a PF, o líder caminhoneiro se apresentou no início da tarde na Delegacia de Polícia Federal em Joinville e permanecerá à disposição da Justiça.
 
Zé Trovão foi levado para o presídio estadual da cidade de Joinville.
 
Antes de ser decretada a ordem de prisão, Zé Trovão fugiu para o México e tinha sido localizado pela Polícia Federal escondido naquele país.
 

Pedido de prisão

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a prisão do caminhoneiro no inquérito que investiga ameaças à democracia e incitação à violência em atos que estavam sendo organizados para o feriado de 7 de Setembro.

Segundo o ministro, as investigações feitas pela PF mostram a “presença de fortes indícios e significativas provas apontando a existência de uma verdadeira organização criminosa, de forte atuação digital e com núcleos de produção, publicação, financiamento e político absolutamente semelhante àqueles identificados com a nítida finalidade de atentar contra a democracia e o Estado de Direito”.

O caso começou a ser apurado em abril do ano passado após manifestantes levantarem faixas pedindo a intervenção militar, o fechamento do STF e do Congresso durante atos realizados em Brasília e outras cidades do país.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Geral

Comentários do Facebook
Continue lendo

GOIÁS

MINAS GERAIS

DISTRITO FEDERAL

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA