Geral

'Mesmo com pandemia, vamos acelerar em 2022' – Agência Brasília

Publicado

em


É da Secretaria de Governo, comandada por José Humberto Pires, que sai o planejamento do GDF Presente, programa inédito e bem-sucedido do governo que está em execução desde 2019 no cuidado diário das cidades | Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

Se a pandemia perdura em 2022, a ordem do Governo do Distrito Federal (GDF) é clara: continuar com o pé no acelerador. Das pequenas e diárias obras de reparo às grandes intervenções de infraestrutura, o planejamento vai seguir o cronograma com mais de mil ações em andamento e outras 600 já aprovadas e prontas para sair do papel. A garantia disso tudo vem da Secretaria de Governo, pasta comandada por José Humberto Pires, que orquestra as ações executadas nas 33 regiões administrativas.

É da pasta dele, inclusive, que sai todo o planejamento do GDF Presente, programa inédito e bem-sucedido do governo no cuidado diário das cidades, desde 2019. As solicitações das pequenas intervenções são feitas pelos cidadãos via ouvidorias. Mas eles vão ganhar, até o fim do trimestre, mais um canal de atendimento: a Administração 24 horas.

Nesta entrevista, José Humberto fala com a Agência Brasília do que está sendo preparado no quarto ano desta gestão, explica o que tem sido feito para recuperar e manter os equipamentos públicos – inclusive o pavimento das vias, que tanto sofre com as tempestades – e a preocupação de criar empregos acelerando as obras públicas. Confira abaixo  os principais trechos.

O que podemos esperar do GDF Presente em 2022?

Antes de responder, eu preciso fazer uma pequena retrospectiva. O GDF Presente foi o instrumento mais próximo da população que o governo teve até esse momento. Ele nasceu como SOS DF, para exatamente recuperar os muitos equipamentos públicos deteriorados que encontramos, e a partir da determinação do governador Ibaneis Rocha de que o governo fique próximo perto da população. A gente usa até um jargão: o governo acontece na porta do cidadão. Um dos problemas que o governador viu durante a campanha é que a população reclamava muito da demora na resposta de uma demanda. E era muito demorado mesmo.

Então, resolvemos criar um instrumento em que todos os órgãos estariam juntos para estar perto do povo e diminuir esse tempo de resposta. O programa evoluiu para o GDF Presente e tem funcionado muito bem, com a colaboração de todos os órgãos de zeladoria do governo, como Novacap, SLU, Detran, Caesb, da CEB, da Secretaria de Administração Penitenciária com o projeto Mãos Dadas, as secretarias de Obras, de Agricultura, o DER…

E como funciona o GDF Presente?

A partir de polos. Dividimos o DF em 10 regiões e todas receberam maquinário e trabalhadores, que são deslocados para onde serão feitos os reparos. Tudo é feito a partir de um planejamento: 15 dias antes, visitamos os locais com o administrador, mapeamos os problemas para, quando as equipes chegarem, o trabalho sair mais rápido. Agora eu respondo: o que se pode esperar para 2022? Uma ação ainda mais forte. Vamos ampliar o projeto Mãos Dadas e teremos mais trabalhadores nas ruas.

Um novo contrato para fornecimento de massa asfáltica está sendo fechado. Teremos 12 empresas que vão atuar em todas as cidades como uma força de trabalho adicional, porque um dos problemas mais graves é a malha viária do Distrito Federal, muito antiga e desgastada, neste tempo de chuvas muito fortes. Não vamos nos limitar ao tapa-buracos; as vias que tiverem mais que 25% de avarias serão integralmente recapeadas, com asfalto de qualidade. Esse mapeamento já está pronto e é um aprimoramento no trabalho do GDF Presente.

“Com o programa Administração 24 horas, teremos as oito horas de funcionamento presencial, mas no restante do dia será possível acessar os serviços das administrações virtualmente, pela internet. O aplicativo vai oferecer os serviços principais e o cidadão terá uma resposta mais rápida e com menos burocracia para seus pleitos”

E em relação às parcerias com os órgãos, o que teremos de novidades?

A CEB já está preparada para fazer a troca da iluminação, das lâmpadas queimadas, o Detran para fazer a pintura das faixas de pedestres e o DER está esperando só uma liberação do Tribunal de Contas para fazer um trabalho que a gente chama de microrrevestimento de recuperação asfáltica, que é uma proteção extra para o asfalto, da mesma forma que foi feito no Eixão e na pista da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig). O DER está fazendo esse contrato e também vai nos ajudar nessa recuperação das vias sob sua responsabilidade.

O investimento será feito em todo o DF?

Sim. É uma necessidade de muitos anos, que não foi suprida. Nós chegamos e começamos o trabalho. Já recuperamos mais de 100 quilômetros de rodovias – isso sem contar as novas construções. Essa recuperação significa tirar a massa velha e colocar a massa nova. Mas temos ainda 600 quilômetros – lineares – que precisamos fazer. E quando se tem uma necessidade desse tamanho a gente tem que ter um programa permanente de recuperação de vias, que é o que o governador Ibaneis determinou. Ele liberou R$ 140 milhões para a Novacap, R$ 75 milhões para o DER e mais R$ 47 milhões só para o tapa-buraco. Ou seja, há dinheiro para o tapa-buraco e para a recuperação total das vias.

Quando o sr. fala de reconstrução da via, foi o que se fez na Epig?

Na Epig nós fizemos uma obra ainda melhor. Conseguimos reconstruí-la com a técnica correta para o fluxo de veículos do local. Foi feito um corte profundo de 40 centímetros – o dobro do que acontece numa via normal – por causa do trânsito pesado. Quem viu a obra que está sendo feita no acesso ao aeroporto, na Estrada Parque Aeroporto (Epar), sabe do que estou falando. Ali é possível ver a altura e a qualidade da obra.

Como é a participação do programa RENOVADF nessas obras?

O RENOVADF é peça fundamental, uma parceria extraordinária. Está chegando e atendendo com aquela mão de obra em treinamento grande parte das demandas da comunidade – ou seja, ao mesmo tempo em que estão aprendendo uma profissão, os trabalhadores estão colocando em prática, já que é um curso feito in loco, para valer. Outro programa que funciona bem é o Cidade Sempre Viva, da Novacap. O GDF Presente atende as emergências e o Cidade Sempre Viva cuida das intervenções que demandam mais tempo.

Se temos um lugar onde [a obra] vai demorar aí dois, três meses para ficar pronta, quem faz esse trabalho ao redor das feiras, dos equipamentos públicos, das praças é o Cidade Sempre Viva. Então eu acho que o Governo está bem servido, o que se reflete numa cidade bem cuidada. O problema que enfrentamos agora são as condições climáticas, típicas do período chuvoso; mas ainda assim o trabalho não para.

Qual o caminho ideal que o cidadão deve seguir para solicitar um reparo, uma intervenção ou qualquer obra de melhoria nas cidades?

O cidadão pode procurar a própria administração regional presencialmente. Nós temos ouvidorias locais nas administrações, temos a Ouvidoria Geral do Distrito Federal e teremos de volta, em alguns dias, um canal, que é o e-Cidades, que ele também pode usar, baixando o aplicativo para o seu telefone gratuitamente. Este app está temporariamente fora do ar, em aprimoramento, para que a gente integre todas essas demandas e atenda à população por meio dele. Estamos o tempo todo fazendo o filtro das solicitações.

Até o final do primeiro trimestre o governo se prepara para lançar um novo programa, que é a Administração 24 horas. Como isso vai funcionar?

A proposta do governador Ibaneis é que as administrações atendam ao cidadão 24 horas por dia. Teremos as oito horas de funcionamento presencial, mas no restante do dia será possível acessar os serviços das administrações virtualmente, pela internet. Vamos lançar esse programa em março e será uma revolução no Distrito Federal. O aplicativo vai oferecer os serviços principais e o cidadão terá uma resposta mais rápida e com menos burocracia para seus pleitos.

“Temos R$ 1,5 bilhão de investimentos já previstos no orçamento, tudo isso com o objetivo de continuar nossas pequenas, médias e grandes obras e gerar mais emprego e renda para a população”

O governo está preparado para enfrentar mais um ano de pandemia e fazer com que ela não altere a entrega das grandes obras em andamento nas cidades?

Não tenho dúvida. Sofremos muito com a pandemia, que vem atrasando uma série de obras e ações que estavam programadas, porque o governo teve que desviar seu foco para as urgências. Você veja que tudo na sociedade parou. Até campeonato de futebol. Com tudo isso, no entanto, o GDF não parou. Na última semana eu fiz aqui uma reunião com os 21 órgãos para a apresentação de nosso caderno de obras. Foi um dia inteiro de reunião para definir as obras prioritárias, porque esse é um ano de entregas que precisam ser feitas de maneira mais rápida. A pandemia não só não vai nos fazer parar, como vamos acelerar.

Os compromissos que foram feitos – obras grandes, como o Túnel de Taguatinga, a nova avenida Hélio Prates, os viadutos do Recanto das Emas e da Epig, do Setor Policial; ou mesmo as ações mais pontuais vão ser cumpridas. Quando começamos o governo, não havia projetos, tivemos que desenvolver todos a partir do zero. Agora temos projetos para muitos anos, para mudar a cara do DF, para melhorar a vida de todos. São mais de 1.400 obras em andamento, mais de mil obras já entregues e temos projetos para cerca de 600 obras, entre a fase de demanda e execução de projetos.

Vamos concentrar nosso tempo para concluir as obras que estão em andamento, emitir novas ordens de serviço para começar as que já estão licitadas e com recursos garantidos e fazer a licitação daquelas que estão com projetos prontos. É assim que nós estamos trabalhando em todas as áreas, desde a zeladoria até infraestrutura, área social, mobilidade, saúde, segurança, enfim, em todo o governo. É como dizemos sempre: o GDF não para.

Há dinheiro para tudo isso?

O governo está investindo e buscando novas fontes de financiamento, usando todas as emendas parlamentares. É o primeiro governo que conseguiu executar 100% das emendas colocadas. Além disso, o GDF recuperou a capacidade de buscar empréstimos: estamos buscando mais R$ 1 bilhão de financiamento no Banco do Brasil, mais R$ 1 bilhão no BNDES.

Temos R$ 1,5 bilhão de investimentos já previstos no orçamento, tudo isso com o objetivo de continuar nossas pequenas, médias e grandes obras e gerar mais emprego e renda para a população. Isso também estimula o comércio, o setor produtivo em geral, porque faz a economia girar, como podemos ver pela movimentação na construção civil, com tantas obras novas, abrindo vagas de trabalho, gerando renda.

É uma combinação perfeita: governo fazendo obras públicas de impacto e empresários gerando renda e trabalho. É como o governador Ibaneis sempre diz: “Governo é para os pobres; aos ricos, basta não atrapalhar”.

Fonte: Governo DF

Comentários do Facebook

Geral

Governo do Tocantins investe mais de R$ 1 bilhão em infraestrutura e garante nova malha asfáltica para rodovias do Estado

Publicados

em

O Estado do Tocantins recebeu diversos investimentos na infraestrutura nos últimos meses. Foram disponibilizados mais de um R$ 1 bilhão pelo Governo do Tocantins, destinados, principalmente, à pavimentação e manutenção asfáltica de vias e rodovias de Norte a Sul do Estado, conforme anúncio realizado pela gestão estadual na manhã desta sexta-feira, 1º, na Associação Tocantinense de Municípios (ATM), em Palmas.

“O balanço da gestão dos últimos 8 meses traz uma realidade de várias ações que estavam paralisadas. Hoje trouxemos resultados favoráveis. O Estado trabalha de forma planejada. O eixo principal de desenvolvimento que a gestão mais avançou foi o de infraestrutura. O setor é o principal e realmente precisava de atenção: recuperar trechos rodoviários, por onde passa toda nossa economia e gera todo o desenvolvimento do Estado, que é agropecuário. Era necessário recuperar esses trechos rodoviários”, ressaltou o secretário do Planejamento, Sergislei Moura, durante o evento na ATM.

Conforme mencionou o secretário do Planejamento, o destaque dos trabalhos do Governo do Tocantins ficou com a área da infraestrutura, que iniciou neste ano o Plano de Pavimentação, Recuperação e Conservação de Rodovias, investindo R$ 700 milhões para a melhoria de 30 trechos estaduais. Outra ação que merece destaque é o Programa de Fortalecimento da Economia e Geração de Emprego e Renda, que viabilizou R$ 278 milhões aos 139 municípios tocantinenses, sendo R$ 2 milhões para cada um; e o Programa de Habitação do Estado que, através do Projeto Prioritário de Investimento – Intervenção em Favela (PPI-Favela), entregou 36 moradias em Palmas, além de investimentos na construção de pontes em todo o território estadual.

“Estamos trabalhando, sobretudo, na recuperação de rodovias estaduais importantes para o tocantinense e para o escoamento da produção local”, pontuou Márcio Pinheiro, presidente da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto).

Asfalto novo

O o Plano de Pavimentação, Recuperação e Conservação de Rodovias está transformando o Tocantins num canteiro de obras asfálticas. São 30 trechos de rodovias estaduais sendo reconstruídas ou recuperadas simultaneamente, de norte a sul do Estado.

Com o Plano, foram disponibilizados R$ 700 milhões para a recuperação desses trechos rodoviários importantes para a mobilidade e escoamento de produções no Tocantins. Dentre os quais, trecho na TO-030, entre Taquaralto e Santa Tereza do Tocantins; na TO-020, entre Palmas e Aparecida do Rio Negro; na TO-010, entre Palmas e Lajeado; na TO-348, entre Luzimangues e Barrolândia; na TO-050, entre Porto Nacional e Silvanópolis; e na mesma TO-050, trecho entre Porto Nacional e Palmas; trecho na TO-070, entre Dueré e Formoso; e na TO-335, entre Colinas e Couto Magalhães.

Outros quatro trechos merecem destaques, porque serão mais de 100 km recuperados em cada um. São eles: na TO-080, entre Paraíso do Tocantins e Caseara; na TO-336, entre Guaraí e Couto Magalhães; na TO-374, entre Marianópolis e Lagoa da Confusão; e na TO-373, entre Alvorada, Araguaçu e Divisa Tocantins-Goiás.

Pontes
A construção da ponte nova sobre o rio Tocantins, na rodovia TO-255 em Porto Nacional, recebeu investimento de R$ 149 milhões, e está com o cronograma em dia. A previsão de entrega da obra é de um ano e meio. “As obras estão dentro do calendário e essa ponte está sendo construída com bastante cuidado, para ser uma obra de qualidade”, destaca o governador Wanderlei Barbosa, ao lembrar que a ponte velha está interditada por volume de peso, o que impossibilita o escoamento de produções e a mobilidade da população. Vale lembrar que a conclusão da obra ligará a região à Ferrovia Norte-Sul, principal via de escoamento de grãos do sudoeste baiano e do Tocantins.

Em Couto Magalhães foram investidos R$ 508 mil do Tesouro Estadual junto com recursos de emenda parlamentar para a recuperação de vigas de concreto de quatro pontes do município. A construção e a reforma das pontes foram executadas pela Ageto, por meio do Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável (PDRIS).

As duas pontes construídas e entregues em Santa Rosa do Tocantins, uma sob o Rio Formiga e a outra sob o Rio Manoel Alves, totalizam investimento de R$ 14 milhões. De acordo com o prefeito, Levi Teixeira de Oliveira, a população da região esperou pelas obras por, pelo menos, uma década.

“Sempre que o Governo faz uma obra, ele leva em consideração o direito de ir e vir das pessoas, com segurança. Os moradores precisam dessas garantias, com rodovias, pontes e estradas de qualidade”, sintetizou Wanderlei Barbosa.

Programa de Fortalecimento

Com políticas de fortalecimento municipalista, o Governo do Tocantins disponibilizou R$ 278 milhões para os 139 municípios, sendo que cada um está recebendo parcelas que totalizam R$ 2 milhões. O repasse refere-se ao Programa de Fortalecimento da Economia e Geração de Emprego e Renda para os municípios. Já foram transferidos R$ 100 aos municípios habilitados, com pagamento da primeira e segunda parcela.  

Alguns municípios aplicaram na manutenção, recuperação e pavimentação de vias, construção de praças e parques, entre outras benfeitorias, prestaram contas e começaram a receber valores referentes à terceira etapa. São os casos dos municípios de Tabocão, Miracema, Natividade, Ipueiras (distrito de São Francisco), e zonas urbana e rural de Dois Irmãos, que, em maio, receberam, juntos, R$ 7,6 milhões para pavimentação asfáltica, calçamento de vias públicas e construção de pontes e bueiros em seus respectivos municípios.

Em relação aos repasses, a prefeita de Guaraí, Fátima Coelho, afirmou que a primeira remessa já está quase toda empenhada e foi utilizada para recuperar ruas importantes da cidade. “Conseguimos dar início às obras da Avenida Fortaleza, uma das principais de Guaraí e que ficou completamente destruída depois do período de chuva”, explicou.

O prefeito de Paraíso do Tocantins, Celso Morais, enalteceu o Programa de Fortalecimento. “Mais uma vez o governo do Estado valorizando e incentivando a geração de empregos na nossa região”, frisou.

Habitação

Em maio, durante as comemorações de aniversário da Capital, o Governo do Tocantins entregou 36 moradias através do programa de Projetos Prioritários de Investimentos – Intervenção em Favela (PI-Favela). O programa é realizado pelo Governo Federal, com investimento da ordem de R$ 4,3 milhões e contrapartida do Governo do Tocantins, com investimento de R$ 3,1 milhões.

Em anexo, a apresentação Mais Investimentos Mais Resultados com o balanço do trabalho da atual gestão do Governo do Tocantins em 10 eixos temáticos de desenvolvimento do Estado.

Trecho da TO-080 é recuperado com o Plano de Pavimentação, Recuperação e Conservação de Rodovias, de R$ 700 milhões – Thiago Sá/Governo do Tocantins

Nova ponte de Porto Nacional recebeu investimento de R$ 149 milhões e está com o cronograma em dias e a previsão de entrega é de um ano e meio – Antonio Gonçalves/Governo do Tocantins

O presidente da Ageto, Márcio Pinheiro, afirmou que as obras são importantes para o escoamento da produção – Tharson Lopes/Governo do Tocantins

Asfalto no Setor Maracanã, em Araguaína, recebeu investimento do Governo do Tocantins por meio da Ageto – Antonio Gonçalves /Governo do Tocantins

Prefeito de Paraíso, Celso Morais, fala da valorização dos municípios com do Programa de Fortalecimento da Economia e Geração de Emprego – Esequias Araújo/Governo do Tocantins

Prefeita de Guaraí, Fátima Coelho, contou que a primeira remessa do Programa de Fortalecimento da Economia e Geração de Emprego  já está quase toda empenhada e foi utilizada para recuperar ruas importantes da cidade – Esequias Araújo /Governo do Tocantins

Fonte: Governo TO

Comentários do Facebook
Continue lendo

GOIÁS

MINAS GERAIS

DISTRITO FEDERAL

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA