Economia

Dólar tem maior queda em uma semana e fecha abaixo de R$ 5,20

Publicado

em


Influenciado pela melhoria no ambiente externo, o dólar caiu mais uma vez e voltou a ficar abaixo de R$ 5,20. A bolsa de valores reagiu e subiu pelo segundo dia consecutivo, encostando em 126 mil pontos.

O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (21) vendido a R$ 5,192, com recuo de R$ 0,04 (-0,76%). A cotação operou em alta durante toda a manhã, chegando a R$ 5,26 na máxima do dia, por volta das 12h. Com o alívio no mercado à tarde, a moeda passou a cair, até fechar próxima das mínimas do dia.

A divisa acumula alta de 4,4% em julho. Em 2021, a moeda está praticamente estável, com valorização de apenas 0,06%.

No mercado de ações, o dia for marcado pela recuperação. O índice Ibovespa fechou aos 125.929 pontos, com alta de 0,42%. O indicador chegou a operar em baixa no início da sessão, mas ganhou impulso no fim da manhã e voltou a subir.

A redução dos receios com a disseminação da variante delta do novo coronavírus diminuiu as tensões no mercado internacional, favorecendo países emergentes, como o Brasil. As bolsas norte-americanas e as cotações internacionais do petróleo reagiram.

No Brasil, o resultado da arrecadação federal em junho, que registrou o melhor desempenho para o mês em dez anos, também foi bem recebido pelos investidores. Os números indicam que o crescimento econômico no Brasil continua, apesar das tensões políticas internas.

*Com informações da Reuters

Edição: Nádia Franco

Comentários do Facebook
Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Segunda rodada da Cessão Onerosa deve ocorrer até o fim do ano

Publicados

em


O Brasil ocupa a sétima posição no ranking mundial de produção e de exportação de petróleo. A meta é chegar a 2030 entre a quarta e a quinta posição. Para falar sobre o assunto, o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, José Mauro Coelho, é o entrevistado do programa Brasil em Pauta, às 20h30 deste domingo, na TV Brasil.

Entre as medidas mais esperadas estão a realização da segunda etapa do leilão da Cessão Onerosa (excedente do volume de petróleo e gás que a União cedeu à Petrobras) que vai leiloar os campos de Sépia e Atapu. A expectativa é de que o leilão seja realizado até o fim deste ano.

Coelho destacou que a camada pré-sal é responsável por 73% da produção nacional de petróleo. “Vemos nos últimos anos uma produção declinante dos campos em terra e dos campos maduros em mar mas na área do pós-sal”. Para isso o governo está realizando programas de revitalização das atividades de produção e exploração nessas duas áreas.

O secretário também falou sobre o plano de desinvestimento que deve abrir o setor de refino no país. “Concentração de mercado é uma barreira a investimentos e a novos entrantes”, disse.

Segundo ele, a Petrobras se comprometeu a vender oito ativos de refinarias. “O governo federal queria trabalhar numa abertura do mercado, que o mercado tivesse maior concorrência, maior dinamismo, maior pluralidade de agentes e, claro, isso traz benefícios para o consumidor brasileiro. Essa competição tem o potencial de levar a uma redução de preços”.

Durante a entrevista, foram abordados também temas como as matrizes renováveis de energia – o Brasil é o segundo maior produtor de biodiesel do mundo – preço da gasolina e a nova Lei do Gás.

Edição: Aécio Amado

Comentários do Facebook
Continue lendo

GOIÁS

MINAS GERAIS

DISTRITO FEDERAL

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA