Geral

DF inicia dose de reforço e amplia antecipação de segunda dose da Pfizer

Publicado

em


O Distrito Federal vai dar início nesta semana à vacinação com dose de reforço de idosos que vivem em Instituições de Longa Permanência (ILPIs), a partir de 60 anos, dos idosos de forma geral acima dos 85 anos e abrir agendamento para os imunossuprimidos graves de acordo com os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

Este último público será vacinado a partir da próxima segunda-feira (27). Além disso, todas as pessoas que têm a segunda dose da vacina Pfizer-BioNTech marcada para até 27 de outubro poderão antecipar a aplicação a partir desta quarta-feira (22).

Os anúncios foram feitos pela Secretaria de Saúde em entrevista coletiva realizada na tarde desta segunda-feira (20)| Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

A vacinação dos adolescentes também avança nesta terça-feira (21) – dia em que começa o processo de imunização contra a covid-19 nos adolescentes de 13 anos e continua para quem tem acima disso. “Essa decisão foi baseada na análise das manifestações com respaldo técnico favoráveis à vacinação dos adolescentes, emitidas por entidades que fazem parte da Câmara Técnica de Imunização e atuam junto ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), além do parecer favorável da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)”, destacou o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero.

“Foi feito um planejamento de modo que todas essas inclusões ocorressem ao longo da semana com tranquilidade e de forma a não haver acúmulo de pessoas nos locais de vacinação”General Pafiadache, secretário de Saúde

Os jovens receberão o imunizante fabricado pela Pfizer-BioNTech, que tem certificação mundial e, até o momento, é o único recomendado para esse público. Os pontos de vacinação serão exclusivos para os adolescentes e estão disponíveis no site da Secretaria de Saúde.

Os anúncios foram feitos pela pasta em entrevista coletiva realizada na tarde desta segunda-feira (20). Participaram da coletiva o secretário de Saúde, general Pafiadache, a secretária-adjunta de Assistência à Saúde, Raquel Beviláqua, o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, o diretor de Vigilância Epidemiológica, Fabiano dos Anjos, e o coordenador da Atenção Primária, Fernando Erick Damasceno.

O secretário de Saúde, general Pafiadache, destacou que “foi feito um planejamento de modo que todas essas inclusões ocorressem ao longo da semana com tranquilidade e de forma a não haver acúmulo de pessoas nos locais de vacinação”, destaca o secretário de Saúde, general Pafiadache.

Dose de reforço

A expectativa é vacinar um total de 1.090 idosos que vivem em ILPIs. A vacinação para esse público começa na terça-feira (21). Serão vacinados apenas os idosos neste primeiro momento, não contemplando os trabalhadores dessas instituições. A vacinação acontece nos próprios locais e deve durar três semanas.

Já para os idosos acima de 85 anos, é preciso que tenham mais de seis meses da aplicação da segunda dose. A vacinação começa na quarta-feira (22) e os pontos estarão disponíveis no site da Secretaria a partir da terça-feira (21). Para receber a dose de reforço, os idosos devem levar o comprovante de vacinação anterior. De acordo com o diretor de Vigilância Epidemiológica, Fabiano dos Anjos, são estimados 16 mil idosos nesse público.

O Distrito Federal já aplicou 3.958.346 vacinas, sendo 2.126.811 primeira dose; 1.037.170 segunda dose; e 56.964 doses únicas

Imunodeprimidos graves

A vacinação para esse público será realizada mediante agendamento, que será aberto na quarta-feira (22), às 14h, no site vacina.saude.df.gov.br. A vacinação iniciará na próxima segunda-feira (27).

“A imunização desse grupo será por agendamento, pois, neste momento, o ministério encaminhou doses apenas para a metade desse público. É necessário comprovar a situação de saúde. Estão aptos a tomar a dose de reforço todos aqueles acima de 18 anos que tenham tomado a segunda dose ou dose única há mais de 28 dias e que se enquadrem na descrição proposta pelo ministério da saúde (veja abaixo)”, explicou Fabiano. Ao todo, são 12.870 doses para esse público.

Ele esclarece também que o agendamento é importante para a equipe técnica analisar caso a caso, de modo a verificar se as pessoas se enquadram nos critérios estabelecidos em portaria, podendo ser contempladas neste primeiro momento.

Segundo Fabiano, a necessidade desse tempo se justifica para que os técnicos tenham condições de avaliar cada caso e, ao mesmo tempo, as pessoas tenham possibilidade de providenciar receituário ou relatório médico de acordo com o critério já estabelecido de agendamento.

Fazem parte desse grupo, conforme definido pelo Ministério da Saúde:

I – Imunodeficiência primária grave
II – Quimioterapia para câncer
III – Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras
IV – Pessoas vivendo com HIV/Aids com CD4 V – Uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias
VI – Uso de drogas modificadoras da resposta imune (vide tabela 1)
VII – Pacientes em hemodiálise
VIII – Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, autoinflamatórias, doenças intestinais inflamatórias)

Antecipação segunda dose

De acordo com o coordenador da Atenção Primária, Fernando Erick Damasceno, a partir de quarta-feira (22), todos aqueles que estão com a segunda dose da Pfizer marcada no cartão de vacina até o dia 27 de outubro podem procurar os postos específicos para fazer o adiantamento. O público estimado é de 240 mil pessoas.

Vacinas aplicadas

Até o momento, o Distrito Federal já aplicou 3.958.346 vacinas, sendo 2.126.811 primeira dose; 1.037.170 segunda dose; e 56.964 doses únicas. De quinta (16) até domingo, foram aplicadas 58.210 vacinas, sendo 34.730 primeiras doses, 23.364 segundas doses e 116 doses únicas.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Fonte: Governo DF

Comentários do Facebook
Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

O zebrinha voltou

Publicados

em


Arte: Divulgação/Secretaria de Mobilidade do DF

Os ônibus que circulam nas linhas do Serviço de Transporte de Vizinhança, no Distrito Federal, voltarão a ter as cores tradicionais que os tornaram conhecidos como “zebrinhas”. Os veículos com listras brancas e vermelhas deverão estar em operação até fevereiro de 2022.

“Vamos resgatar as cores do transporte de vizinhança, de forma que os usuários poderão identificar com facilidade os veículos dessas linhas”, disse o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro.

Segundo o secretário, muitas pessoas pensam que o vizinhança foi descontinuado, pois os micro-ônibus circulam atualmente com as cores iguais aos demais ônibus das operadoras. “Além de facilitar para essas pessoas, a volta do zebrinha vai resgatar essa parte da história do transporte público coletivo na capital”, disse Casimiro.

Hoje circulando com as cores dos demais ônibus das operadoras, os zebrinhas vão voltar a ter as listras brancas e vermelhas para serem mais facilmente identificados pelos usuários | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

As cores do zebrinha foram aprovadas pelo Conselho do Transporte Público Coletivo do DF e publicadas no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) nesta terça-feira (26), por meio da Resolução nº 4.748 de 13 de outubro de 2021. De acordo com o visual aprovado, os veículos terão uma faixa branca até a altura dos faróis e, na parte superior, predomina a cor vermelha com algumas listras brancas.

O Serviço de Transporte de Vizinhança conta com 46 veículos circulando em 12 linhas na área central do DF, que inclui Asa Sul, Asa Norte, Esplanada dos Ministérios, Cruzeiro, Octogonal, Sudoeste e os setores de Autarquias, Bancário e Comercial, além de duas linhas que vão até o Aeroporto. As linhas são: 6, 7, 11, 16, 22, 23, 24, 25, 30, 31, 32 e 35.

História

O transporte de vizinhança começou a operar no início da década de 1980, por meio da Portaria nº 61, de 10 de julho de 1980, que ainda está em vigor. O início da operação foi em 30 de abril de 1981, com tarifa diferenciada e os veículos circulando entre as quadras das asas Sul e Norte (W1 e L1), além da Esplanada dos Ministérios, Lago Sul e nas proximidades de bancos, autarquias e comércio da região central da capital federal.

Os ônibus com listras brancas e vermelhas circularam até 2012, quando a nova licitação do Sistema de Transporte Público Coletivo do DF determinou as cores dos veículos de acordo com cada área de operação. Atualmente, alguns micro-ônibus estão na cor verde e outros na cor amarelo. Depois de 10 anos, os “zebrinhas” voltarão a circular em Brasília com as cores originais.

*Com informações da Secretaria de Mobilidade do DF

Fonte: Governo DF

Comentários do Facebook
Continue lendo

GOIÁS

MINAS GERAIS

DISTRITO FEDERAL

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA